Esgotamento sanitário

 

O sistema de esgotamento sanitário operado atualmente pela Manaus Ambiental possui uma extensão de 478 km de redes coletoras associadas a 60 estações de tratamento de esgoto e 51 elevatórias, subdividindo-se em dois sistemas: um que abrange o centro da cidade e partes dos bairros Educandos, Morro da Liberdade, Santa Luzia e adjacências, que é chamado de sistema integrado, e outro formado por vários sistemas isolados dispostos ao longo de toda a cidade, como é o caso de vários conjuntos habitacionais, residenciais que possuem o serviço operado pela concessionária.

Os investimentos para universalização deste serviço serão R$ 2.2 bilhões em 30 anos, com a construção de nove grandes complexos de estações de tratamento de esgoto. Em médio prazo, Manaus terá mais de 60% de todo o seu esgoto coletado e tratado, tornando-se assim, referência nacional em saneamento básico. Esses índices já são praticados em todas as empresas do grupo Águas do Brasil, que nas 14 cidades e por mais de quatro milhões de habitantes tem seu trabalho reconhecido como o melhor grupo privado de saneamento do país, segundo recente pesquisa do Valor Econômico.